O ritmo da vida


Vivemos numa época complicada. As exigências pessoais e do trabalho nos empurram de um lado para outro, procurando sincronizar horários, satisfazer agendas abarrotadas e cumprir compromissos familiares.

Mas, além das consequências óbvias relacionadas ao estresse e às mudanças de humor, o corpo é que termina pagando a conta. Os médicos informam um crescente número de casos de esgotamento físico e insônia, que desencadeiam outras enfermidades mais sérias, como afecções cardíacas, diabetes ou até mesmo câncer. “Queimar a vela pelas duas pontas” é uma boa metáfora para a vida louca que levamos. Como evitar que o tempo e a saúde escorram como areia por entre nossos dedos?

A chave consiste em não permitir que as circunstâncias externas determinem nosso ritmo. Precisamos começar a respeitar o ritmo do nosso corpo. Uma das características mais notáveis dos seres vivos é que eles estão sujeitos a biorritmos, que são oscilações periódicas das funções vitais. Diariamente, há oscilações rítmicas, como a que rege nossos períodos de sono ou a secreção de hormônios. É o caso dos corticoides, que alcançam seu clímax às dez da manhã.

Além desses biorritmos de um dia, há outro mais extenso. O Dr. Franz Halberg, da Universidade de Minnesota, criou o conceito de biorritmo de sete dias.

O biorritmo de sete dias revela que o organismo precisa de uma pausa

As pesquisas descobriram diferentes condições em que os seres humanos têm períodos de altos e baixos durante o ciclo de sete dias. Esses períodos influenciam o ritmo cardíaco, a pressão arterial, temperatura do corpo, temperatura das mamas, composição e volume da urina, a regulação dos neurotransmissores e o fluxo de diversas substâncias químicas, como o hormônio cortisol, responsável pelo controle do estresse. Um simples resfriado envolve um biorritmo de sete dias.

Alguns estudiosos consideram que o biorritmo de sete dias pode revelar que o organismo precisa de uma pausa como estímulo para continuar vivendo.

Ciclo – Mas por que um período de sete dias? O ritmo de 24 horas é mais lógico, porque é guiado pelos fenômenos astronômicos. Para conhecer as razões desse ciclo de sete dias, devemos nos reportar às origens do homem. A Bíblia diz que, “havendo Deus terminado no dia sétimo a Sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a Sua obra que tinha feito” (Gênesis 2:2).

Deus não apenas estabeleceu esse período, mas também deixou instruções para que o ser humano respeitasse esse ciclo de seis dias de trabalho, descansando no sétimo dia, o sábado: “Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus” (Êxodo 20:9, 10).

Pensando em nossa felicidade, Deus criou esse ciclo de atividade e repouso, porque “o sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado” (Marcos 2:27). Respeitar o ciclo de descanso diário e o semanal contribui para que você renove suas forças físicas, porque Deus lhe deseja “prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma” (3 João 2).

Deus tem nosso corpo em alta conta, considerando-o como “santuário do Espírito Santo” (1 Coríntios 6:19). Por outro lado, Ele nos deu a bênção do descanso sabático, para renovar nossas forças físicas, mentais e espirituais.

Se cumprirmos a ordem divina e observarmos o descanso sabático, poderemos esperar o cumprimento da seguinte promessa: “Faz forte o cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor” (Isaías 40:29).

(Marcos G. Blanco, Um dia de Esperança, p. 6-7)

Férias para a família


Todo fim de ano é a mesma coisa. Milhões de pessoas pegam as estradas congestionadas ou embarcam em voos lotados para se encontrar com a família. É o momento tão esperado por muitos, quando as férias são usadas para fazer uma pausa, matar a saudade, receber abraços e dar presentes. Mas você sabia que as férias não precisam ser anuais? Que existe um tipo de “férias” semanal?

O mundo carece dessa pausa como o trabalhador fatigado precisa de descanso. Devido ao corre-corre destes dias agitados, os relacionamentos vão se deteriorando. Os laços sociais se tornam mais frágeis. Falta tempo. Falta diálogo. Falta relacionamento real com sabor de humanidade.

No Salmo 46:10, Deus nos dá um conselho em forma de ordem: “Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus” (ARA). As pessoas estão perdendo a capacidade de se aquietar. Têm dificuldade de pisar no freio e se conceder férias. Uma pausa para o bate-papo despreocupado, esquecido do girar incessante dos ponteiros do relógio. Um tempo para o aconchego, para passear de mãos dadas, contando estrelas e observando as flores. Mas que “férias” são essas?

Uma conhecida revista semanal brasileira publicou recentemente: “Dependendo do momento que você está atravessando nas suas relações com pais, filhos e cônjuges, você irá gostar mais ou menos dessa ideia, mas a medicina já se rendeu completamente a ela: sua família está no centro da sua saúde e tem função determinante em seu bem-estar físico e mental a longo prazo. … Uma das mais sólidas descobertas é que as crianças que cresceram em um ambiente de acolhimento e segurança emocional em geral são providas de maior senso de integração social e mais capazes de regular o próprio comportamento para manter a saúde do corpo e da mente independentemente do apoio de outras pessoas.”

O apóstolo Paulo, ao narrar o momento de tranquilidade que viveu com seus amigos, revela que “férias” semanais são essas: “No sábado saímos da cidade [de Filipos, onde não havia igreja] e fomos para a beira do rio, onde esperávamos encontrar um lugar de oração. Sentamo-nos e começamos a conversar com as mulheres que haviam se reunido ali” (Atos 16:13).

Presente temporal – Este é o tipo de pausa de que as pessoas carecem: reservar o sétimo dia para sair da cidade, ir para a beira de um rio (ou outro lugar tranquilo qualquer), orar, sentar-se e conversar. Um dia de esperança para os relacionamentos desgastados, para as famílias desunidas, para os casais que apenas dividem o mesmo teto. Um dia para buscar a união com o Deus que nos une aos semelhantes. Não é preciso dirigir nem tomar um avião para desfrutar essas “férias”. O sábado vem a nós a cada semana. É um presente temporal que Deus nos oferece para fortalecer os relacionamentos e dar sentido à vida.

Um dia para fortalecer  os relacionamentos

No ambiente familiar, é preciso evitar que os mal-entendidos se cristalizem, gerem mágoas e afastem as pessoas. E nada melhor do que uma pausa semanal para aliviar essa carga, numa verdadeira oportunidade de recomeço, de reaproximação. Com o pôr do sol da sexta-feira e o começo de cada novo sábado (cf. Marcos 1:32 e Levítico 23:32), devem ficar para trás também o rancor, o ressentimento e os pequenos atritos que se acumulam e podem amargar a vida.
O sábado é o passo atrás para o salto adiante numa existência plena de significado e realização. É o dia semanal de férias para a família. Desfrute-o!

(Michelson Borges, Um dia de Esperança, p. 4-5)

Pastores segundo o coração de Deus


"E dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência." (Jeremias 3:15)



Não tenho dúvidas de que Deus escolhe pastores para guiar o Seu povo, sendo líderes que permitem ser guiados pelo único e bom Pastor (João 10:11). Mas tenho muitas dúvidas sobre os intitulados "pastores", constituídos pelas instituições religiosas, quanto a eles serem escolhidos segundo o coração de Deus.

Aliás, muitas das mensagens de Deus por meio de Jeremias é sobre o perigo desses intitulados pastores. Veja uma delas: "Ovelhas perdidas têm sido o meu povo, os seus pastores as fizeram errar" (Jeremias 50:6). 

Ou seja: os pastores (e por que não pastoras?) são escolhidos por Deus para guiarem o Seu povo e, por mais que sejam pecadores, apascentam com sabedoria e inteligência conduzindo o povo ao real Pastor. Em contrapartida, há professos pastores, não escolhidos por Deus, que conduzem o povo ao erro! Sendo assim, nem todo que se diz pastor, ou é nomeado por alguma instituição religiosa de tal modo, é de fato um pastor nomeado por Deus.

Pastor não é uma profissão, é uma vocação divina. E como tal, obviamente, é Deus quem escolhe e não uma instituição religiosa. 

Como então perceber quem é e quem não é? Pelos seus frutos (Mateus 7:20)! Eis algumas pouquíssimas características que rapidamente se pode encontrar de um(a) pastor(a)

  • Um pastor por vocação é cada vez mais parecido com o Bom Pastor, Cristo. Ele busca constantemente ao Senhor e conduz suas ovelhas à Ele (Jeremias 25:35).
  • Ele conhece Suas ovelhas (João 10:14).
  • Convive com elas (não apenas em eventos religiosos).
  • Visita suas ovelhas. Não algumas. Não são as mais privilegiadas. São todas as suas ovelhas (Jeremias 23:2).
  • Ele sacrifica-se por elas, indo atrás delas, por mais que elas tenham escolhido sair de seu aprisco (Mateus 18:12).
  • Dá a vida por elas (João 10:11).
Tendo isso em mente, diga-se de passagem, tem sido cada vez mais raro encontrar um pastor.

Por fim, é importante mencionar que apesar de ter se tornado um termo comum, e até vulgar, pelos terríveis exemplos em diversas denominações religiosas existentes, ainda assim, Deus escolhe pastores para guiar o Seu povo. Não são títulos. São pessoas de ações exemplares, como as descritas acima.

Fique de olho. Esteja atento ao Bom Pastor e não se deixe enganar por qualquer um.

(Henderson Rogers)

Audiobook Caminho a Cristo


Segue para download o áudio dos capítulos do livro Caminho a Cristo, de Ellen G. White. Aproveite esse ótimo material gratuito e compartilhe com seus amigos e familiares.

CapítuloTocarBaixar
01 - O Cuidado de Deus PlayDownload
02 - A Ponte sobre o Abismo PlayDownload
03 - Mudança de Rumo PlayDownload
04 - Abra o Coração a Deus PlayDownload
05 - Consagração PlayDownload
06 - Um Direito Seu PlayDownload
07 - A Obediência é um Privilégio PlayDownload
08 - Crescimento em Cristo PlayDownload
09 - Atividade e Vida PlayDownload
10 - O Deus que eu Conheço PlayDownload
11 - O Privilégio de Falar com Deus PlayDownload
12 - Expulse a Dúvida PlayDownload
13 - Regozijo no Senhor PlayDownload


O médico tinha razão


Ele era uma “máquina de trabalhar”. Permanecia em sua empresa várias horas por dia. Como empresário ansioso e hiperativo, fazia algum tempo que estava cansado e estressado. À noite, demorava para dormir, e durante o dia era dominado por sua obsessão por trabalho.

Portanto, era natural que suas forças estivessem minguadas e seu ânimo, abatido.

Então, ele decidiu consultar o médico.

– Eu me sinto cansado e abatido – ele disse ao médico. – Não consigo administrar meu trabalho como antes. E isso me perturba. Preciso recuperar minhas energias e meu entusiasmo.

Após escutar com atenção o relato do paciente, o médico lhe disse sem hesitar:

– Você está abusando de sua saúde. Precisa reduzir suas horas de trabalho. Separe um dia para descansar!

– Não posso fazer isso, doutor; minha fábrica não pode parar.

– Talvez sua fábrica não possa parar, mas você deve parar um pouco, se deseja sentir-se bem outra vez.

– Mas quando? Em que dia? – o homem perguntou, intrigado.

– Um dia inteiro por semana – respondeu o médico. – Descanse no dia que Deus estabeleceu para o repouso semanal, e logo veremos os resultados…

Meio desconfiado, o homem fez o teste. E, para sua surpresa, em poucas semanas seu estresse diminuiu e ele recuperou o ânimo. O médico que ele havia consultado era um bom cristão e não havia feito mais do que receitar ao paciente um antigo preceito divino de trabalhar seis dias por semana e descansar no sétimo, ou seja, no sábado (Êxodo 20:8-11).

Bem-estar – O ciclo semanal de sete dias é um verdadeiro ordenador da vida. Ele nos move à ação do trabalho digno e proveitoso. Mas, por sua vez, nos reserva o sétimo dia da semana para o descanso físico, emocional e espiritual de que tanto necessitamos para combater nossas tensões e aliviar nossas cargas.

O ciclo semanal de sete dias é um ordenador da vida

Quem melhor do que nosso Criador para nos dizer como devemos viver? Se Ele estabeleceu um dia especial da semana para a recuperação de nossas forças é porque nesse dia existe uma importante fonte de bem-estar, paz e fortaleza para nossa vida.

Por isso, “abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera” (Gênesis 2:3). Em primeiro lugar, Deus “abençoou” o sétimo dia, o sábado, com uma bênção que não colocou sobre nenhum outro dia da semana; em seguida, o Criador “santificou” e tornou santo esse dia específico da semana; e, finalmente, o Senhor “descansou” naquele primeiro sábado, não porque estivesse cansado, mas para nos dar o exemplo.

Muitas pessoas se desgastam por causa de trabalho excessivo, preocupações e ambições. Os nervos estão à flor da pele, e até sua vida de relacionamento fica alterada. Qual é a necessidade básica dessas pessoas? Paz para seu coração atribulado, alegria para seu vazio interior e descanso para seu corpo fatigado. Esses três atributos – paz, alegria e descanso – são, em escala máxima, dons do Altíssimo.

Você sente que o estresse oprime sua mente, que o fardo da vida lhe causa agonia? Deus lhe diz: “Não temas, porque Eu sou contigo; não te assombres, porque Eu sou o teu Deus; Eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a Minha destra fiel” (Isaías 41:10). Junto com essa encorajadora promessa de amor, o Criador nos relembra: “Tenho um presente de bênçãos e felicidade para sua vida. É o sábado, o dia de repouso que separei para você. Aceite-o e desfrute dele.”

O médico cristão de nosso relato inicial tinha razão: o descanso no verdadeiro dia do Senhor é uma grande bênção. Alivia o cansaço físico, promove paz interior, contribui para o equilíbrio mental e favorece o bom relacionamento familiar. Você percebe que o sábado é um dos maiores benefícios que Deus concedeu para nosso bem-estar integral?

(Enrique Chaij, Um dia de Esperança, p. 2-3)

Audiobook Santificação


Faça o download do áudio dos capítulos do livro Santificação, de Ellen G. White, gratuitamente, e aproveite esse riquíssimo material para sua meditação e reflexão, e para compartilhar com seus amigos e familiares.

CapítuloTocarBaixar
01 - A Verdadeira e a Falsa Teoria Comparadas PlayDownload
02 - Os Princípios de Temperança de Daniel PlayDownload
03 - O Controle dos Apetites e Paixões PlayDownload
04 - A Fornalha Ardente PlayDownload
05 - Daniel na Cova dos Leões PlayDownload
06 - As Orações de Daniel PlayDownload
07 - O Caráter de João PlayDownload
08 - O Ministério de João PlayDownload
09 - João no Exílio PlayDownload
10 - O Caráter Cristão PlayDownload
11 - O Privilégio do Cristão PlayDownload

Na Contramão