Audiobook Viva com Esperança


Quanto você pagaria para conhecer os segredos do bem-estar? Ter ótima saúde é algo que todos desejamos, mas, infelizmente, muitas pessoas só percebem isso depois que a perdem.

O audiobook Viva Com Esperança mostra maneiras simples de evitar assassinos crônicos como câncer, diabetes, problemas do coração e obesidade. Aqui você descobrirá os reais benefícios da boa nutrição para o corpo e a mente. Além disso, encontrará a fórmula para aumentar a resiliência e verá comoo amor e o perdão restauram o coração.

Ao ouvir as mensagens desse livro, você certamente será desafiado a fazer ajustes no rumo de sua vida. Coloque em prática os princípios revelados neste best-seller e você ficará surpreso com os incríveis resultados.

Para cada capítulo, clique no link "baixar", desfrute, experimente e compartilhe!

INTRODUÇÃO - Baixar

Capítulo 01: O Segredo da Vida Plena - Baixar

Capítulo 02: Alimentação Milagrosa - Baixar

Capítulo 03: O Peso da Obesidade - Baixar

Capítulo 04: Corpo em Movimento - Baixar

Capítulo 05: Conexões Vitais - Baixar

Capítulo 06: Mente Positiva - Baixar

Capítulo 07: Inimigo Global - Baixar

Capítulo 08: O Caminho da Liberdade - Baixar

Capítulo 09: Atitude de Vencedor - Baixar

Capítulo 10: Área de Descanso - Baixar

Capítulo 11: Fator Essencial - Baixar

Capítulo 12: Saúde ao Máximo. - Baixar

A maior esperança


O descanso que nos dá alegria completa é o que nos prepara para novas realizações. É o que está repleto de esperança. De que adianta descansar indefinidamente sem nenhuma perspectiva futura que nos motive?

É exatamente isso que torna tão significativo o repouso do sábado. Não é uma pausa vazia ou inerte, mas um descanso que nos restaura física e espiritualmente e nos fortalece para encarar os desafios da vida diária com renovada fé em Deus.

Além disso, o descanso sabático nos prepara para desfrutarmos a plena felicidade que a volta de Jesus trará a este mundo. Quando fazemos uma pausa em nossas atividades cotidianas, o sábado nos dá a oportunidade de passar mais tempo com Jesus, preparando-nos, assim, para o dia em que virá nos buscar para estarmos sempre com Ele. O descanso do sábado nos lembra que Jesus virá pela segunda vez à Terra. Quando descansamos no sábado, sentimos antecipadamente a paz e alegria que haverá quando o Salvador extinguir todo o mal, sofrimento e morte que reinam neste mundo.

O Senhor Jesus Cristo prometeu que virá para levar ao Céu todos os que nEle creem. Pouco antes de morrer, Ele disse a Seus discípulos: “Pois vou preparar-vos lugar. E, quando Eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para Mim mesmo, para que, onde Eu estou, estejais vós também” (João 14:2, 3). Sem dúvida, é atrativo pensar em desfrutar o lugar que Cristo foi preparar no Céu. Mas o mais importante não serão as mansões de ouro, e sim estar junto ao Redentor que nos amou tanto que morreu por nós. “Contemplarão a Sua face”, afirma o apóstolo João (Apocalipse 22:4).

Essa promessa foi reafirmada pelos anjos que confortaram os apóstolos enquanto Cristo subia ao Céu. Eles lhes disseram: “Este Jesus que dentre vós foi assunto ao Céu virá do modo como O vistes subir” (Atos 1:11).

O convite – A volta de Jesus será um acontecimento majestoso. O Salvador virá “sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória” (Mateus 24:30), acompanhado por todos os anjos do Céu. “E todo olho O verá” (Apocalipse 1:7). O apóstolo Paulo explica que “o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos Céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor” (1 Tessalonicenses 4:16, 17).

Falta pouco tempo para a segunda vinda de Jesus. O cumprimento dos sinais que Ele mesmo profetizou permite afirmar que o tempo “está próximo, às portas” (Mateus 24:33). “Porque, ainda dentro de pouco tempo, Aquele que vem virá e não tardará” (Hebreus 10:37). No último capítulo da Bíblia, Cristo afirma: “E eis que venho sem demora” (Apocalipse 22:12).

O Senhor “deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2:4). Para que isso aconteça, é necessário que você aceite Cristo como seu Salvador pessoal e entregue a vida a Ele. Então, Sua paz e a esperança de Seu breve regresso encherão o coração. “E a si mesmo se purifica todo o que nEle tem esta esperança, assim como Ele é puro” (1 João 3:3).

Se Cristo ainda não veio, diz o apóstolo Pedro, é porque “é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. Virá, entretanto, o Dia do Senhor” (2 Pedro 3:9, 10). E como certamente isso vai acontecer, “deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando a apressando a vinda do Dia de Deus” (2 Pedro 3:11, 12).

Hoje, enquanto ainda existe oportunidade, Cristo lhe faz o convite: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

O descanso sabático nos prepara para desfrutar a plena felicidade que a volta de Jesus trará  a este mundo

(Carlos A. Steger, Um dia de Esperança, p. 14-15)

Dia ilimitado


Tudo parecia perdido quando o número 119.104 foi tatuado em sua pele. Viktor Frankl, médico e psiquiatra austríaco de origem judaica, conheceu por dentro os horrores de Auschwitz e de outros campos de concentração do regime nazista.

Separado da família, destituído de sua profissão, desonrado na dignidade humana, foi numerado como um objeto qualquer. Sob trabalhos forçados e alimentação mínima, conheceu o significado da expressão farrapo humano.

Libertado no fim da guerra, Frankl revelou que nem a crueldade de seus carcereiros e muito menos as cercas foram capazes de aprisionar sua fé. A crença em um propósito superior o ajudou a conservar dentro de si uma direção para a vida quando nada fazia o menor sentido.

Ele testemunhou que as pessoas que cultivaram a sensibilidade espiritual e emocional suportaram melhor aquela trágica experiência do que outros de constituição física mais robusta. “Justamente para essas pessoas permanece aberta a possibilidade de se retirar daquele ambiente terrível para se refugiar num domínio de liberdade espiritual”, afirmou.

Você pode não ter enfrentado uma situação extrema. Porém, as pequenas tragédias do dia a dia, as desilusões de uma rotina que parece sem propósito são capazes de levar muitas pessoas a desejar a abreviação da própria existência. O que é sempre a pior escolha.

Lente divina – Há momentos de grande dor e ocasiões em que as feridas estão abertas. Elas não podem ser negadas. É impossível varrê-las para debaixo do tapete. Diante do inevitável, a saída mais sábia é colocar a vida transitória na perspectiva do que é eterno. Os olhos humanos só conseguem enxergar a real dimensão e propósito da vida com as lentes divinas.

Infelizmente, a visão espiritual debilitada pode aprisionar pessoas de grandes habilidades e talentos na cela escura da desesperança. Mas não precisa ser sempre assim. A missão de Jesus Cristo é destinada também a você. Ele disse: “O Espírito do Senhor está sobre Mim, porque Ele Me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele Me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor” (Lucas 4:18 e 19, NVI).

As palavras de Cristo não são apenas um discurso bonito. Elas inauguram Seu ministério terrestre marcado por ações poderosas. Foram proferidas em uma reunião de culto realizada no sábado (Lucas 4:16). O sábado foi um dia especial escolhido por Jesus para transformar a vida de pessoas com Seu toque restaurador. Por isso, é o dia da renovação espiritual.

Um homem paralítico havia trinta e oito anos se esparramava no chão à espera de um milagre. Foi num sábado que Cristo, atendendo ao desejo do enfermo, ordenou que se levantasse, pegasse a esteira onde estivera debruçado no longo infortúnio e caminhasse para uma vida de novas possibilidades (João 5:1-9). Um cego de nascença também passou a enxergar o brilho do Sol e a beleza da vida quando recebeu o toque de Cristo em um dia de sábado (João 9:1-41). Esses são apenas dois exemplos do dia escolhido por Cristo para dar o enfoque correto ao mandamento bíblico: “Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo” (Êxodo 20:8).

O sábado é uma janela aberta para o propósito divino em sua vida

Lembrar-se do sábado é não se esquecer do Criador que santificou esse dia (Êxodo 20:11). É lembrar-se de que esse Criador não está distante. Ele toca a existência, aponta o sentido e liberta a vida humana de sua realidade limitada para as infinitas possibilidades do encontro com o Eterno. 

(Guilherme Silva, Um dia de Esperança, p. 12-13)

Audiobook A Única Esperança


Baixe aqui o áudio em alta qualidade do livro A Única Esperança, de Alejandro Bullón. Aproveite esse material importantíssimo e compartilhe com seus amigos e familiares.

Audiobook Visões do Céu


Segue para download o áudio dos capítulos do livro Visões do Céu, de Ellen G. White. Aproveite esse ótimo material gratuito e compartilhe com seus amigos e familiares.

CapítuloTocarBaixar
00 - Prefácio PlayDownload
01 - O Caminho para o Céu PlayDownload
02 - Sua Promessa será Cumprida PlayDownload
03 - Prometida a Volta de Jesus PlayDownload
04 - O Povo de Deus é Liberto PlayDownload
05 - A Segunda Vinda de Jesus PlayDownload
06 - Nossa Herança Eterna PlayDownload
07 - Uma Atmosfera Celestial PlayDownload
08 - Finalmente Face a Face PlayDownload
09 - O Éden Restaurado PlayDownload
10 - Quem Estará Lá PlayDownload
11 - Alguns já estão Lá PlayDownload
12 - Alguns que não estarão Lá PlayDownload
13 - Mil Anos no Céu PlayDownload
14 - O Fim do Mal PlayDownload
15 - A Terra Renovada PlayDownload
16 - O Céu é uma Escola PlayDownload
17 - Não tardará PlayDownload
18 - O céu pode começar agora PlayDownload
19 - A musica do céu PlayDownload
20 - Um apelo para estarmos lá PlayDownload

Tempo para você


Se as últimas décadas foram marcadas pelas vitórias da medicina sobre muitas doenças do corpo, o desafio do século 21 é ajudar a humanidade a não entrar em colapso emocional. Não se trata apenas dos distúrbios sérios, que pedem tratamento profissional com terapias e remédios, mas do equilíbrio emocional no dia a dia. Saúde é mais que ausência de doença, é bem-estar total.

É possível viver o hoje, livre do ontem e sem medo do amanhã

Os especialistas falam de vários inimigos da saúde emocional, entre eles: ansiedade e culpa. Os sintomas podem ser percebidos no pai que perde o sono por causa do risco do desemprego; da mulher que vive a pressão de conciliar o trabalho com o papel de mãe; ou de um adolescente que, bombardeado pela propaganda, acredita que seu valor se mede pela marca de uma roupa. O pior da ansiedade é que ela nos aprisiona ao futuro. Coloca a felicidade como algo a ser alcançado, mas indisponível agora. Cria o sentimento de constante insatisfação, mau humor e intolerância. Faz com que as incertezas do amanhã tirem a paz do hoje.
A culpa, por sua vez, nos amarra ao passado. Seu peso pode ser sentido pelos pais que perderam o filho para as drogas; pelo jovem, outrora ingrato, que agora toca o caixão da mãe; ou pelo marido que carrega o remorso da destruição de seu lar por uma aventura amorosa. A culpa não resolvida esgota as forças. Suga o que há de melhor em nós. Ri dos sonhos de liberdade e regeneração, jogando na cara do culpado uma dívida impagável. Gera angústia, depressão. Pode matar.

O segredo – O problema é moderno, mas a solução de Deus é muito antiga: “Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal” (Mateus 6:34). O conselho é simples e prático, porque Ele, no verso anterior, promete suprir todas as necessidades daqueles que O buscarem (v. 33). Se você duvida, olhe para as aves, que não pedem socorro e não fazem nada por merecê-lo, mas mesmo assim são sustentadas (v. 26). O texto ainda termina dizendo que é inútil o homem se angustiar em relação ao que não pode mudar, pois aquilo que está além de nós, deve-se confiar a Deus (v. 27). Para os ansiosos, Ele pode quebrar as cadeias que os prendem ao futuro.

Quanto à culpa, alguns psicólogos diriam que o Cristianismo é a religião que mais oprime o homem. É verdade que durante muitos séculos uma falsa compreensão sobre o caráter divino fez da fé um fardo insuportável. Alguns chegaram a considerar a voz do Diabo mais doce que a de Deus. Mas esse não é o retrato que a Bíblia pinta: “Venham a Mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e Eu lhes darei descanso…” (Mateus 11:28). A paz interior que o Deus da Bíblia concede está além do entendimento, porque não vem de passeatas contra a violência ou de acordos de cessar-fogo, mas do toque de quem conhece o íntimo do ser humano. Ele é especialista em jogar culpas no fundo do mar e apagar o passado perturbador.

Certo do desequilíbrio do homem moderno, Deus providenciou um dia por semana para celebrar a liberdade emocional. O sábado é símbolo do cuidado e perdão de Deus. Do cuidado, porque aceita-se o desafio de ficar 24 horas longe das preocupações diárias. As contas e compromissos não deixam de existir, mas a responsabilidade é compartilhada com Deus. Foi essa a experiência do povo de Israel no deserto. Toda sexta-feira caía maná (pão do Céu) em dobro, para que no sábado descansassem na providência divina (Êxodo 16:4-31).
O sétimo dia também é antídoto para a culpa, pois ele é um presente, assim como o perdão de Deus. No sábado, somos convidados a descansar, não só fisicamente, mas também de nossos medos e traumas. É o abraço do Pai para o filho acuado e machucado. É um recado do Céu, no presente, de que é possível viver livre do passado e não temer o futuro.

(Wendel Lima, Um dia de Esperança, p. 10-11)

Direito do trabalhador


Paulo trabalha demais. Motorista de ônibus, sai de casa às quatro da manhã para enfrentar um trânsito difícil. Mônica, professora, leciona 38 aulas por semana numa escola problemática. Roger administra uma pequena empresa de exportações e chega a trabalhar 17 horas por dia. Assim como eles, milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com as pressões do trabalho e buscam alívio.

Imaginava-se que os avanços tecnológicos proporcionariam uma vida mais tranquila às pessoas, mas o que se vê é exatamente o contrário. Acordamos mais cedo e dormimos mais tarde. Levamos tarefas para casa e carregamos o celular até para o banheiro. Temos uma agenda cheia, mas o coração vazio. O resultado dessa correria só pode ser dores, ansiedade, esgotamento.

Pesquisadores já identificaram diversas doenças relacionadas ao excesso de trabalho. Estresse, distimia, depressão e burnout são apenas alguns nomes. Mas também existem as chamadas doenças ocupacionais, cuja ameaça pode se potencializar em casos de trabalho excessivo. Tais complicações têm em comum o poder de aprisionar o indivíduo. A pessoa afetada perde aos poucos a capacidade de desempenhar tarefas simples e de se comunicar normalmente. Portanto, quando não são levadas a sério, as doenças do trabalho incapacitam a pessoa para a profissão e a vida.

Antes que o pior aconteça, precisamos nos lembrar de que não somos máquinas. Não somos escravos de ninguém, nem de nós mesmos. Nosso corpo não precisa ser prejudicado irreversivelmente. Essas verdades tão claras devem ser relembradas e vividas.

Recado – Certamente foi por isso que Deus usou o verbo lembrar, nos Dez Mandamentos: “Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo. Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos, mas o sétimo dia é o sábado dedicado ao Senhor, o teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teus filhos ou filhas, nem teus servos ou servas, nem teus animais, nem os estrangeiros” (Êxodo 20:8-10, NVI). O mandamento nos ordena a contemplar o Criador e a lembrar que somos seres finitos, necessitados de um descanso semanal já preparado por Ele para o nosso bem.

O dia de esperança é um segredo para a realização profissional

O descanso no dia de sábado é um direito universal, assegurado não pelas leis humanas, mas na “Constituição Divina”; contudo, poucos sabem disso. Trabalhadores braçais ou de escritório, donas de casa ou executivas, funcionários públicos ou de ONGs, estudantes, agricultores, profissionais de saúde, crianças, visitantes e até os animais de carga têm o direito de descansar no sábado. O próprio Jesus afirmou: “o sábado foi feito por causa do homem” (Marcos 2:27).

O sábado foi reservado por Deus para lembrar os israelitas de que foram libertos da escravidão do Egito (Deuteronômio 5:15). Também foi no sábado que Cristo descansou de Sua obra redentora. Portanto, o sétimo dia está envolto por uma aura de liberdade, e descansar nele significa dizer ao mundo que somos livres em todos os sentidos. No sábado, a dimensão dessa liberdade chega ao nível dos pensamentos (Isaías 58:13, 14).

Esse dia de esperança para o cansado trabalhador também é um segredo da realização pessoal. Ser bem-sucedido não requer, necessariamente, trabalhar sete dias por semana, até queimar as reservas físicas e emocionais. Milhões já fizeram isso e, mirando o topo do mundo, chegaram ao fundo do poço. Portanto, a fim de alcançar o verdadeiro sucesso, precisamos de um tempo sagrado para refazer as energias e ajustar o foco. Trabalharemos com inteligência durante seis dias e renderemos mais do que em sete maltrabalhados. Muito mais do que uma questão de produtividade, encontraremos junto ao Criador um sentido para nosso suor debaixo do Sol.

(Diogo Cavalcanti, Um dia de Esperança, p. 8-9)
Na Contramão